Corte de soqueira – Opção sustentável para controle de pragas e adubação da cana


O corte de soqueira é uma prática cultural utilizada em larga escala em canaviais com alta incidência de pragas de solo, dentre as quais Nematóides. Uma das práticas culturais mais eficientes para o controle desta praga é a aplicação de nematicidas no corte de soqueira. Além da aplicação dos nematicidas, biofertilizantes, bactérias e micronutrientes também podem ser aplicados no corte da soqueira.



Nematicidas


“Independentemente de onde se planta cana-de-açúcar no Brasil, haverá nematóides no solo”. Essa afirmação vem de especialistas no tema, como a pesquisadora Leila Luci Dinardo Miranda, do Instituto Agronômico (IAC). Essa praga já tomou proporções alarmantes, estando presente em mais de 70% dos canaviais. E, em regiões onde predominam solos arenosos, esse número pode ser superior a 90%. Embora sejam recorrentes desde os primórdios da agricultura mundial, os nematóides ainda são extremamente negligenciados pela maioria dos produtores rurais. Isso ocorre porque o nematóide é invisível. E as ações para o seu controle só acontecem quando o canavial já está tomado pela praga, quando o correto é adotar técnicas de manejo que não favoreçam os nematóides, que, cedo ou tarde, irão surgir.


“Nematóides são parasitos extremamentes importantes para a agricultura em geral e para a cana-de-açúcar em particular. A cana é bastante sensível aos danos causados por nematóides. Para manejo das áreas infestadas com nematóides é extremamente importante fazer uma boa amostragem. A boa amostragem ela deve ser feita na época chuvosa e compondo uma amostra por várias subamostras. Esta amostragem feita no campo ela é insubstituível, nada é melhor que uma amostragem feita dessa forma para realmente informar se a área tem ou não problemas com nematóides e se tiver o produtor poderá adotar diversas medidas de controle. Embora matéria orgânica e rotação com crotalária sejam bastante citadas, essas ferramentas na verdade auxiliam a planta mas não reduz a população de nematóides.

O que reduz a população de nematóides são de fato os nematicidas. Nós temos hoje bons nematicidas químicos e biológicos que podem ser utilizados no manejo de nematóides com boa eficiência tanto em cana planta quanto em cana em soqueira e isso tem que ser levado em consideração, tem que ser relembrado pelo produtor, porque os nematóides nos últimos anos ficaram um pouco esquecidos, talvez por causa dos danos alarmantes causados por outras pragas como cigarrinha, esfenofero, broca, e os nematóides são invisíveis, então a olho nú o produtor não consegue ver, então talvez por isso ele deu menos importância nestes últimos anos, mas nematoides são importantíssimos para cana. Volto a frisar isso, por isso e bom que as pessoas voltem sua atenção para um problema tão grande e façam o manejo adequado que envolve diferentes ferramentas de controle, mas principalmente os nematicidas. E hoje os produtores tem diferentes opções, inclusive entre produtos químicos e biológicos, com boa eficiência em todos os casos.” Disse Leila Luci Dinardo Miranda.



Biofertilizantes


Os biofertilizantes no corte da soqueira podem ser uma alternativa para a minimização dos estresses abióticos e bióticos em cana. Os biofertilizantes são qualquer substância ou microrganismo aplicado às plantas com o objetivo de melhorar a sua eficiência nutricional, a tolerância a estresses abióticos e/ou a qualidade dos cultivos, independente do seu conteúdo nutricional.

A aplicação dos biofertilizantes no corte da soqueira proporciona uma série de benefícios à cana, dentre os quais:

Maior desenvolvimento do sistema radicular da cana: maior absorção de água, nutrientes e síntese de citocinina;

Maior absorção de água = maior tolerância da cana aos estresses bióticos – veranicos – e abióticos – por exemplo, uma dose excessiva de herbicida;

Maior eficiência da cana na absorção de nutrientes, destacando-se os nutrientes absorvidos por difusão – fósforo, zinco, cobre, manganês e potássio – que possuem baixa mobilidade no solo.

Além da maior absorção de água e nutrientes ocasionada pelo maior desenvolvimento do sistema radicular da cana, ocorre também maior síntese de citocinina. Os benefícios dos biofertilizantes mencionados anteriormente melhoram a produtividade e a qualidade da cana – aumento no ATR.

As citocininas são hormônios vegetais, definidas como compostos que possuem atividades biológicas semelhantes àquelas da trans-zeatina. Estas atividades incluem: indução da divisão celular em calos na presença de uma auxina; promoção da formação de gemas ou raízes a partir de calos na cultura, quando em razões molares adequadas para auxina e retardo da senescência foliar.


Bactérias diazotróficas (Azospirillum)


As bactérias diazotróficas são aquelas capazes de fixar o nitrogênio atmosférico, podendo viver livre no solo, associadas a espécies vegetais, tanto na rizosfera quanto endofiticamente, bem como formar simbioses, como ocorre em muitas leguminosas. As bactérias fixadoras de nitrogênio podem colonizar a região rizosférica, o interior (endofíticas) ou a superfície (epifíticas) de tecidos vegetais, inclusive em plantas de cana-de-açúcar.

Dentre as espécies potencialmente fixadoras de N associadas a gramíneas, foram identificadas o Azospirillum spp., Burkholderia spp., Herbaspirillum spp. e Gluconacetobacter diazotrophicus. Além dessas espécies reconhecidas como diazotróficas, outros gêneros de bactérias também são encontrados em associação com gramíneas, por exemplo, Stenotrophomonas, Sphingomonas, Bacillus, entre outras.

O gênero Azospirillum, é constituído de microrganismos procariotos, denominados por alguns autores Eubacteria (que significa bactérias verdadeiras) e esse gênero possui atualmente 14 espécies identificadas: A. lipoferum, A. brasilense, A. amazonense, A. halopraeferens, A. irakense, A. largomobile, A. doebereinerae, A. oryzae, A. melinis, A. canadense, A. zeae, A. rugosum, A. picis e A. thiophilum.


Um resumo dos efeitos benéficos dos Azospirillum para as plantas pode ser caracterizado como: estímulo ao aumento da densidade e comprimento dos pelos absorventes das raízes; incrementos na velocidade de aparecimento de raízes laterais e do volume de superfície radicular; alteração da respiração das raízes e das atividades de enzimas da via glicolítica e do ciclo dos ácidos tricarboxílicos; produção de nitritos; aumento na absorção de nutrientes e sinais moleculares que interferem no metabolismo das plantas, além da produção de reguladores vegetais, como auxinas, giberelinas e citocininas.

Alguns estudos têm demonstrado que a estimativa pelo uso de organismos diazotróficos em lavouras de cana-de-açúcar brasileiras com a substituição de 50% da dose recomendada de N fertilizante (60 kg N ha-1) representaria economia de 150.000 toneladas de N por ano.

A aplicação de Azospirillum na cana-de-açúcar é uma técnica que tem se mostrado eficiente no fornecimento de N para a cultura, sendo ecologicamente mais atrativa, além de diminuir os custos com fertilizantes químicos. No entanto, vale salientar que, por se tratar de organismos vivos, a tecnologia de aplicação desse tipo de bactéria é fator determinante para o sucesso da fixação biológica de nitrogênio.


Micronutrientes


Os micronutrientes são os nutrientes requeridos em pequena quantidade pela cana (Tabela 1). Basicamente, atuam como catalisadores ou ativadores das reações enzimáticas.


Tabela 1. Extração e exportação de micronutrientes para a produção de 100 t de colmos de cana (Orlando Filho, 1983)





De maneira geral, os micronutrientes mais deficientes nos canaviais do Centro-Sul são o boro e o zinco. Nos solos sob vegetação de Cerrado, a deficiência de manganês é generalizada, notadamente nos solos de textura média a arenosa.

Nos Tabuleiros Costeiros do Nordeste e Espírito Santo, as deficiências de micronutrientes são generalizadas. Em sistemas de cana-crua há uma tendência de aumento no teor de matéria orgânica podendo induzir deficiência de Cu, mesmo em solos com teores adequados derivados de rochas basálticas.

Em solos com médios e baixos teores de micronutrientes (Tabela 2), realizar a aplicação dos fertilizantes abaixo na corte da soqueira.


Ü Fertilis® Boro: 2,0 L/ha;

Ü Fertilis® Mol: 1,0 a 2,0 L/ha;

Ü NHT® Zinco: 0,5 a 1 L/ha.




Fontes:


CanaOnline https://www.youtube.com/watch?v=s9XgRlMJO88&feature=youtu.be

Revista Campos e Negócios https://revistacampoenegocios.com.br/corte-de-soqueira-opcao-sustentavel-para-adubacao-da-cana/

Revista Campos e Negócios https://revistacampoenegocios.com.br/azospirillum-e-suas-vantagens-para-a-cana-de-acucar/




Notícias em Destaque
Notícias Recentes
Arquivo
Procurar por Tags
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Social Icon

Associação dos Fornecedores

de Cana da Região Oeste Paulista

SIGA-NOS:

  • Facebook Social Icon

Praça da Bandeira, 100 • Centro • CEP: 116880-000 • Valparaíso - SP • Tel.: (18) 3401-1015 • afcop@afcop.com.br